Acompanhe as notícias deste Blog no seu e-mail

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Taleban é reeleito para a FENTECT num grande acordão da CUT com o PCO e MRL


Taleban é reeleito para a FENTECT num grande acordão da CUT com o PCO e MRL

Caiu a máscara do PCO e MRL! Vejam na Ata de Eleição e Posse da Diretoria Colegiada, Conselho Fiscal e Comissões, eleitas no 11º CONTECT, realizado em Fortaleza/CE, nos dias 12 à 17 de junho de 2012.

Antes e durante o 11º CONTECT o grande argumento para formar o tal Bloco de Oposição era para tirar o Taleban da FENTECT, denunciado por eles como a “Traidor do Acordo Bianual” e que está totalmente no colo do governo. Mas, para surpresa de todos, o Taleban foi reeleito para a direção da FENTECT, agora como o novo SECRETÁRIO DE FINANÇAS DA FENTECT comandada pelo “Bloco de Oposição”. Que Oposição é essa??

Zé Rodrigues/PI tomou uma pernada de anão do PCO.
Todos os delegados participantes do 11º CONTECT viram que o Zé Rodrigues foi eleito Secretário Geral da FENTECT liderando o tal Bloco de Oposição e para compensar todos os membros do Bloco de Oposição foram criadas várias novas secretarias e comissões. E para a Secretaria Geral foi feito um acordo político de rodízio semestral entre os membros tal bloco. Mas, o que era um acordo político entre o Bloco, virou uma deliberação do Congresso e registrada em ata assinada por Pedro Paulo/PCO-Ecetistas em Luta, Taleban/PT-Articulação e KIKO/PCdoB-CTB.
E como resultado do tal rodízio quem vai iniciar o mandato para comandar a secretaria geral - neste semestre da campanha salarial - não será mais o Zé Rodrigues. Será o Edson Dorta/PCO! Pasmem! E no ano que vem, novamente no semestre da campanha salarial, quem irá comandar a secretaria geral da FENTECT será a Anaí Caproni/PCO!!!
O mais vergonhoso de tudo isso é o papel que cumpre o MRL. Esta força politica também da CUT, como a maior delegação do bloco não entrou no rodízio da secretaria geral da FENTECT, preferindo atuar como uma espécie de sub-legenda do PCO.

A FNTC avisou: Isso não vai dar certo.
Entretanto, nada disso é surpresa. Quando a FNTC - dentro do XI CONTECT - orientou aos delegados da FNTC para que dessem o voto crítico na chapa em que compunham os companheiros do PI e AM, não foi pedido nada em troca. Apenas para que vivenciassem uma experiência, revissem o erro que estavam cometendo e voltassem para a FNTC.
Foi ainda alertado sobre o grave erro dos delegados do Piauí e Amazonas, sobre o recuo que fizeram no projeto de construção da FNTC e na ruptura com a FENTECT. foi considerado também errada a opção de tentarem derrotar a direção majoritária da FENTECT/CUT, fazendo uma composição sem princípios e sem programa com outra chapa também de setores da CUT.
Como consequência dessa politica oportunista, fica comprovada que a prática é o critério da verdade: pela primeira vez na história do movimento sindical dos Correios, um Congresso Nacional da categoria foi encerrado sem um Plano de Lutas para a Campanha Salarial.
E o Taleban foi reeleito para a FENTECT num grande acordão da CUT com o PCO e MRL!

terça-feira, 19 de junho de 2012

ECT questiona decisão sobre terceirização de transporte de carga postal

Segunda-feira, 18 de junho de 2012
ECT questiona decisão sobre terceirização de transporte de carga postal
A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) ajuizou Reclamação (RCL 13975) contra decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) que manteve determinação de que a empresa se abstenha de terceirizar atividades de transporte de carga postal e de contratar carteiros e operadores de forma temporária na região de São José do Rio Preto (SP). A ECT questiona a competência da Justiça do Trabalho para julgar a matéria, segundo a entidade, de caráter jurídico-administrativo, e não trabalhista, e pede que o STF suspenda o trâmite, no TST, da ação civil pública que deu origem à decisão.
A ação original foi ajuizada pelo Sindicato dos Trabalhadores na ECT e Similares de São José do Rio Preto e Região na 2ª Vara do Trabalho daquela cidade, que julgou improcedente o pedido. Ao julgar recurso, o Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (Campinas/SP) acolheu a pretensão do sindicato e declarou a nulidade de todos os contratos de terceirização das atividades de carga postal celebrados pela ECT. O processo chegou ao TST por meio de agravo de instrumento, ao qual foi negado provimento, e, atualmente, aguarda julgamento de embargos de declaração.
Na RCL 13975, a empresa defende a licitude da contratação temporária de carteiros e operadores, sem vínculo empregatício, para atendimento de necessidade transitória de substituição de seu pessoal regular ou a acréscimo extraordinário de serviços. Sustenta ainda a legalidade da terceirização do transporte de carga postal, contratada mediante licitação, de acordo com as regras da Lei 8.666/1993.
Para a ECT, a questão não envolve a discussão de vínculo empregatício ou direitos trabalhistas, e sim a invalidação de atos administrativos que resultaram nos contratos firmados. “Não é razoável que a Justiça do Trabalho adentre ao mérito de questões eminentemente jurídico-administrativas sem oportunizar que todas as partes envolvidas na causa apresentem defesa”, afirma a empresa autora.
Ao justificar o pedido de liminar, a empresa afirma que a manutenção da decisão da Justiça do Trabalho ocasionará a interrupção do serviço postal na região de São José do Rio Preto e resultará “em caos nos principais setores da sociedade local: saúde, comércio, educação, Governo e mesmo o Judiciário”, causando “grave lesão à ordem pública”. Argumenta, ainda, que a contratação de pessoal via concurso público demanda tempo e estrita observância da legislação vigente, e que os contratados ficarão ociosos a maior parte do ano, devido às oscilações da demanda.
O relator da RCL 13975 é o ministro Joaquim Barbosa.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

MANIFESTO DA FNTC AOS PARTICIPANTES DO 11º CONTECT


MANIFESTO DA FNTC AOS PARTICIPANTES DO 11º CONTECT

Defender a unidade da categoria e construir uma nova ferramenta de luta


domingo, 10 de junho de 2012

Dilma despolitiza os Correios | Congresso em Foco

Dilma despolitiza os Correios | Congresso em Foco
Sobre a matéria “Dilma despolitiza os Correios”, a considero quase uma piada.
Não foi feito isso, nem na Petrobras, muito menos nos Correios. Não sei se a presidenta sabe, mais a cada dia aumenta a cooptação de dirigentes sindicais do PT e PCdoB, nos cargos comissionados nos Correios. Desde a chefia do gabinete do presidente da ECT, que é ocupada por um dirigente da executiva nacional da CUT, até os mais de seiscentos dirigentes sindicais espalhados na diretorias regionais dos Correios. Portanto, desafio qualquer um a mostrar onde foi feita essa limpa que diminuiu a influência partidária na ECT. Com os governos Lula e Dilma aconteceu exatamente o contrário.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Direção da ECT protocola proposta de critérios de PLR 2012 sem ter negociado com os trabalhadores!


Direção da ECT protocola proposta de critérios de PLR 2012 sem ter negociado com os trabalhadores!

No dia 31 de maio de 2012, a direção da ECT protocolou a sua proposta de critérios de PLR no DEST.


É importante lembrar que esta proposta sequer foi apresentada a Comissão de Negociações da Fentect nas reuniões realizadas com a empresa.


Segundo negociadores da empresa os mesmos não viam nenhuma possibilidade de alguma proposta apresentada por ela fosse aprovada nas assembléias da categoria, devido a realização do Congresso da Fentect, posição esta também defendida pela direção majoritária da Fentect.


Foi solicitado que a empresa apresente a proposta protocolada no DEST, pois sabemos apenas que a proposta protocolada é pior do que o acordo da PLR 2011. Também foi solicitado que as negociações devam ser retomadas depois do Congresso da Fentect.


Lembramos ainda que a empresa está se recusando a discutir o repasse dos valores de PLR, referente ao repasse feito pela empresa ao governo no valor de R$ 963 milhões, onde temos direito a 25% deste valor, à título de PLR e temos que reforçar a briga para que os trabalhadores não sejam passados para trás nesta discussão.


Saudações

Jacó/DF (FNTC)

terça-feira, 5 de junho de 2012

ISONOMIA SALARIAL - PCCS 2008

Companheiros da nossa base e de todas as outras,

Gostaríamos de compartilhar com todos que recentemente tivemos uma vitória trabalhista em primeira instância em relação a isonomia salarial, onde a juíza sentenciou a ECT a equiparar o salario dos trabalhadores e todas suas incidências com retroatividade quinquenal.

No caso em tela os trabalhadores estão dentro dos critérios quanto ao tempo de casa, e o paradigma ganha 06 referências à mais que o autor da ação.

O mais importante desta ação é que a julgadora usou o PCCS/2008 como objeto principal para dar a sentença, visto que a ECT usou o mesmo para tentar justificar a diferença de valores salariais entre os servidores.

A tese da defesa foi recusada pelo motivo de que para que um PCCS seja válido é necessário sua homologação no Ministério do Trabalho, que não é o caso do PCCS/2008.

Se algum companheiro(a) se interessar pela a inicial desta ação compartilharemos com o maior prazer. Pois, segundo nosso jurídico já tivemos outras vitórias em relação a isonoia salarial. Mas, nenhuma foi tão boa como esta, justamente porque a justiça não reconheceu o PCCS/2008 como válido.

SERGIO PIMENTA.
SINTECT/SJO (FNTC)

quarta-feira, 30 de maio de 2012

10 Vídeos da Audiência Pública sobre a MP-532

PARTE 1: Considerações Iniciais José Rivaldo,Fentecthttp://www.youtube.com/watch?v=Z23GAv2oLn4

PARTE 2: Considerações Iniciais Luiz Alberto,Adcaphttp://www.youtube.com/watch?v=jjxC57v2wNg

PARTE 3: Considerações Iniciais Wagner Pinheiro,Correioshttp://www.youtube.com/watch?v=rQBnPHhXxnE

PARTE 4: Consideração do Dep.Federal Chico Lopes-CE
http://www.youtube.com/watch?v=2iTtQ12ZGIA

PARTE 5: Considerações do Dep.Federal Sílvio Costa-PEhttp://www.youtube.com/watch?v=Uv2ETTfi32M

PARTE 6: Considerações do Dep.Federal Arnaldo Jardim-SP,Relator da MP 532http://www.youtube.com/watch?v=vGtCH0So73c

PARTE 7: Considerações finais da Rep.do Ministério das Comunicações,Luciana Cortezhttp://www.youtube.com/watch?v=RnzT5kA8jjQ

PARTE 8: Considerações finais do Presidente da Adcap,Luiz Albertohttp://www.youtube.com/watch?v=NO_Jx5hOcwQ

PARTE 9: Considerações finais do Presidente dos Correios,Wagner Pinheirohttp://www.youtube.com/watch?v=0CjUyBNNbEc

PARTE 10: Considerações finais do Secretário Geral da Fentect,José Rivaldohttp:/ /www.youtube.com/watch?v=bh7sqZJBXu0   

segunda-feira, 28 de maio de 2012

O ministro presidente do TST, o pró-patronal João Oreste Dalazen, emitiu decisão cassando a liminar que proibia a ECT em terceirizar as atividades de Motorista, Carteiro e Operador de Triagem e Transbordo.


O ministro presidente do TST, o pró-patronal João Oreste Dalazen, emitiu decisão cassando a liminar que proibia a ECT em terceirizar as atividades de Motorista, Carteiro e Operador de Triagem e Transbordo.

Abaixo, a decisão:


Dalazen é contra critério do TST para terceirização

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro João Oreste Dalazen, discorda da jurisprudência adotada por seu tribunal sobre terceirização do trabalho. Para ele, o tema ainda não foi tratado como deveria, seja pela doutrina seja pela jurisprudência. “Não se pode negar que o conceito de terceirização lícita padece de segurança jurídica”, declarou, ao cassar liminar que determinou aos Correios cancelar todos os seus contratos de terceirização e promover concurso público para contratação.

Hoje, o entendimento que prevalece no TST é o sedimentado na Súmula 331. Diz a norma que a terceirização só é legal quando atinge a atividade-meio da empresa, e não a atividade-fim. Para o ministro Dalazen, no entanto, esse critério traz problemas para a doutrina, jurisprudência e para as relações de trabalho do país.

“A definição de atividade-fim como determinante da regularidade do procedimento de terceirização constitui questão tormentosa e atormentadora, tanto para a doutrina quanto para a jurisprudência. Essa, aliás, a fonte mais aguda dos inúmeros problemas causados pelo fenômeno da terceirização no universo das relações de trabalho”, disse o ministro, em decisão.

Em discussão estava a possibilidade de a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) terceirizar os serviços de motoristas, carteiros e operadores de triagem e transbordo. Os Correios recorreram ao TST para anular uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 22ª Região, no Piauí, que determinou a cassação de todos os seus contratos de terceirização. Também proibiu a contratação de novos funcionários como terceirizados e determinou a realização de licitações para novas contratações.
Motoristas e trabalhadores
A decisão veio em reclamação trabalhista ajuizada pelo Sindicato dos Trabalhadores da ECT (Sintect). Os trabalhadores alegavam que os Correios terceirizam contratos para a realização de suas atividades-fim, como são as atividades reclamadas de motoristas, carteiros e operadores de triagem e transbordo. O sindicato também pediu que a Justiça do Trabalho declare que motoristas de carga são atividade-fim da ECT.

O primeiro grau decidiu em favor dos trabalhadores e determinou o cancelamento de todos os contratos de terceirização. Decidiu também que, para cada dia que os Correios descumprissem a decisão, deveriam pagar multa de R$ 5 mil – chegando ao limite de R$ 500 mil.

A ECT foi ao TRT-22 pedir a cassação da sentença, mas o tribunal a manteve. Reformou apenas a multa e a reduziu para R$ 1 mil por dia. Levou em conta os argumentos do Ministério Público, para quem “o cargo de motorista está contemplado no quadro de pessoal da reclamada [ECT]”. 

Ainda de acordo com o MPT: “Esses fatos evidenciam que a recorrente vem utilizando-se de terceirização de forma ilícita, contratando trabalhadores por empresa interposta para desempenho de funções permanentes e essenciais ao seu funcionamento e objeto”.

Ordem econômica
Os Correios foram ao TST pedir que a sentença fosse imediatamente cassada, pois seu cumprimento afetaria diretamente os negócios da empresa e, consequentemente, os cofres públicos, pois a realização de concurso público implica em muitos gastos. Também poderia acarretar na má prestação de serviços aos cidadãos.

Dalazen concordou com as alegações. “O cumprimento imediato da decisão ainda provisória poderá suscitar problema social grave para os destinatários dos serviços da requerente”, decidiu. Afirmou, ainda, que a realização de concurso é “tarefa complexa, que demanda prazo razoável, além de implicar gastos significativos”.

Questão recorrente
É nesta decisão que o ministro desfere críticas ao entendimento do TST sobre a terceirização. Não foi a primeira vez. Quando concedeu entrevista para o Anuário da Justiça Brasil 2012, Dalazen afirmou que o critério da Súmula 331 do TST é “questionado e questionável”. Por outro lado, disse também que o tribunal não conseguiu chegar a uma definição melhor. “É preciso um marco regulatório”, disse.

O presidente é acompanhado, por outros nove que responderam negativamente à pergunta formulada pelo Anuário: "O critério de atividade-fim e atividade-meio é suficiente para definir se terceirização é lícita?". Entre eles está o ministro Walmir Oliveira da Costa. Para ele, “o conceito [da Súmula 331] ficou muito difuso”. Ele acredita que a diferenciação entre atividade-fim e atividade-meio já não é mais suficiente para tratar do tema. “Mantendo o emprego em condições dignas, não vejo problema na terceirização. Não sou a favor, mas é um caminho inevitável que a legislação deve regulamentar para evitar a precarização”, disse o ministro ao Anuário.

O ministro Pedro Paulo Manus entende que existe outro critério mais seguro para definir se a terceirização é legal ou não. "Em determinados setores, é possível terceirizar atividade-fim sem precarizar. A indústria automobilística mostra isso.O critério ideal seria: a terceirização é legal quando o tomador não gerencia o trabalho do prestador. Se gerencia, cria vínculo. Do contrário, isso se chama locação de mão de obra".
O ministro Caputo Bastos é mais radical. Também em entrevista ao Anuário, o ministro se disse a favor da terceirização irrestrita, desde que a empresa saiba lidar com isso. “Se quiser terceirizar toda a linha de produção, não vejo problemas, desde que arque com as responsabilidades disso. Considero extremamente infeliz o critério da atividade-fim e atividade-meio.” Dos 16 ministros que responderam à pesquisa do Anuário, seis ainda entendem que o critério estabelecido pela Súmula 331 segue firme. "Ainda não encontramos um critério melhor", diz o ministro Horácio Senna Pires. "Não se pode ter uma empresa sem empregados, não se pode terceirizar a atividade que define o empreendimento do empregador. Mas o que é atividade-meio, pode".

domingo, 27 de maio de 2012

Futsal recebe R$ 20 milhões do Correios


Futsal recebe R$ 20 milhões do Correios
Esporte
Edição 1589 - 27 de Maio de 2012
Fonte: Da Redação

Os Correios deram mais um passo em direção ao fortalecimento do esporte brasileiro. A empresa assinou contrato de renovação de patrocínio com a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (CBFS) até 2014.
O investimento nessa modalidade esportiva inclui a preparação das seleções brasileiras masculina e feminina em todas as categorias e faixas etárias, bem como os eventos oficiais realizados pela CBFS. O patrocínio, de R$ 20 milhões, também contempla ações de sustentabilidade e responsabilidade social. Nos últimos anos, o patrocínio dos Correios tem proporcionado a inclusão de diversas crianças.


Fonte:

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Novas greves podem acontecer nos próximos meses


25/05/2012 10:20

Novas greves podem acontecer nos próximos meses

Diversas categorias vão apresentar reivindicações salariais no período que antecede eleições de outubroIVO PATARRA
ivo.patarra@diariosp.com.br
Nesses pouco mais de quatro meses para as eleições, diversas categorias trabalhistas vão fazer campanhas salariais e, possivelmente, jogar duro com os patrões.
“A boa conjuntura econômica e o baixo índice de desemprego encorajam os trabalhadores a reivindicar”, afirmou Quintino Severo, secretário-geral da CUT (Central Única dos Trabalhadores, ligada ao PT).
Segundo ele, o ano eleitoral ajuda porque, para evitar a politização das campanhas, os empresários procuram encerrar logo as negociações, o que favorece os funcionários.
Severo nega que as greves tenham objetivo político. “Interessa saber se o movimento pode ser vitorioso, não que possa influenciar nas eleições.”
Irene Batista, presidente do Sindicato dos Funcionários Municipais de São Paulo, ligado à CUT, admite que o ano eleitoral aguça a disposição pela paralisação. “Queremos um reajuste decente”, disse ela, que não afasta a hipótese de uma assembleia em julho decidir deflagrar greve na Prefeitura. “Já estamos mobilizados.”
Durante a greve dos metroviários que paralisou São Paulo nesta quinta-feira, o governador Geraldo Alckmin acusou que “a população está sendo cruelmente punida por um grupelho radical”, dando a entender que os funcionários do Metrô agiam com interesse eleitoral.
O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo Júnior, que é filiado ao partido de esquerda PSTU, negou nesta quinta o caráter eleitoral do movimento. “A população entendeu que buscávamos uma reivindicação salarial”, afirmou ele.
Para o presidente em exercício da Força Sindical, Miguel Torres, a greve dos metroviários ocorreu por falta de diálogo. “Os dois lados poderiam ter evitado a situação traumática se tivessem conversado mais”, opinou o sindicalista.
Professores/ Além dos bancários que cruzaram os braços em 2010, 2011 e provavelmente o farão novamente em 2012, os 235 mil professores de São Paulo não afastam a chance de paralisar as aulas no segundo semestre, caso o governo estadual não conceda reajuste de 10,2% sem contar a gratificação de 5% dada no ano passado.
Segundo a cientista política Maria do Socorro Braga, é prática corriqueira a greve de trabalhadores do setor público em ano eleitoral. “É o jeito de pressionar os setores políticos para conseguir as reivindicações.”
Severo, da CUT, reclamou da exigência da Justiça na greve dos metroviários. “Determinou que a atividade não podia ser paralisada e impôs multas, impedindo a greve, mas não exigiu nada do setor público.”
Para Torres, da Força Sindical, “o trabalhador, hoje, tem espaço para recuperar perdas e avançar em seus direitos. Não cabe mais exploração política pelas direções dos sindicatos.”
Cheiro de paralisação
Confira quais as próximas categorias a discutir reposição salarial
JUNHO
Artefatos de borracha
Eletricitários, da AES Eletropaulo e CPFL  
Comunicações, da Atento 
Turismo
JULHO
Costureiras, de Osasco
Rurais, do setor da laranja
AGOSTO
Correios
SETEMBRO
Comércio de minérios e derivados de petróleo
Petrobras
Bancários 
Metalúrgicos, do ABCD
Comunicações, da Telefonica
OUTUBRO
Marceneiros, das serrarias
Papel e papelão

Correios do Mato Grosso é condenado a pagar multa de R$ 100 mil




Correios do Mato Grosso é condenado a pagar multa de R$ 100 mil 

Empresa de Correios e Telégrafos foi condenada a pagar multa de R$ 100 mil por ter obrigado os empregados a trabalharem em um domingo, mesmo após ter sido notificada da determinação judicial que proibia tal prática.
Publicado Sexta-Feira, 25 de Maio de 2012, às 07:38 | Redação

 
A decisão foi da juíza Márcia Martins Pereira, em atuação na 6ª Vara do Trabalho de Cuiabá, em ação civil pública proposta pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Correios em Mato Grosso- Sintec-MT, beneficiário do dinheiro.


A ação foi proposta em outubro de 2011 e nela, em despacho do juiz José Roberto Gomes, foi determinado que a empresa cancelasse a convocação dos trabalhadores para trabalhar no sábado e no domingo, sob pena de multa de R$ 100 mil.  Da decisão da magistrada ainda cabe recurso.


A convocação tinha sido feita para que os trabalhadores fizessem compensação dos dias de greve, encerrada com dissídio coletivo no TST. Na época o sindicato alegou que o Correio tinha convocado os empregados para trabalharem no sábado e domingo anteriores (15 e 16 de outubro). Justificou a entidade que após nove dias ininterruptos de trabalho, os empregados precisavam de um fim de semana de descanso.


No entanto, a empresa não cumpriu a ordem judicial e manteve a convocação. Por isso, ao julgar o mérito, tendo constatado o descumprimento da decisão liminar e do artigo 67 da CLT, que prevê descanso semanal de 24 horas, assim se pronunciou a juíza na sentença: “concluo que a ré não poderia desrespeitar o descanso semanal remunerado dos seus empregados, pois a decisão do dissídio coletivo determinou que deveriam ser observados os intervalos legais, o que foi bem salientado na decisão da antecipação de tutela.”


A sentença ainda proíbe a empresa de perseguir os empregados que participaram da greve, sob pena de nova multa no valor de R$ 100 mil.


FONTE: http://www.cenariomt.com.br/noticia.asp?cod=198888&codDep=3


terça-feira, 22 de maio de 2012

Diretoria dos Correios vai torrar R$ 250 milhões só em publicidade... Enquanto isso, nossa PLR é de apenas R$ 267,00


Diretoria dos Correios vai torrar R$ 250 milhões só em publicidade... Enquanto isso, nossa PLR é de apenas R$ 267,00.




Correios licita conta 

de R$ 250 milhões

Quatro agências serão contratadas para cuidar da publicidade da estatal, hoje nas mãos de Artplan e Link/Bagg




















Os Correios preparam licitação publicitária para contratar quatro agências, que dividirão verba anual estimada em R$ 250 milhões. O edital deve ser publicado nas próximas semanas. Os contratos atuais com Artplan e Link/Bagg vencem no segundo semestre e poderiam ser renovados por mais um e dois anos, respectivamente. Entretanto, a estatal optou por abrir licitação, para contar com um time maior de agências e, especialmente, para aumentar consideravelmente sua verba publicitária, que no ano passado girou em torno de R$ 100 milhões. A concorrência anterior dos Correios, iniciada em 2007, foi uma das mais arrastadas dos últimos tempos, com diversos lances na -justiça —o que tirou a marca da mídia por um bom tempo. 


FONTE: http://www.meioemensagem.com.br/home/meio_e_mensagem/em_pauta/2012/05/21/Correios-licita-conta-de-250-milhoes.html

sábado, 19 de maio de 2012

SINTECT-PE realiza panfletagem do Manifesto da FNTC


SINTECT-PE realiza panfletagem do Manifesto da FNTC
Ação faz parte do calendário de mobilização do Sindicato para possível desfiliação da FENTECT
 

Diante das insatisfações com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (FENTECT), a diretoria do SINTECT-PE aprovou levar o debate para a Base sobre a ruptura com a Federação. E para fortalecer a discussão sobre o assunto, o Sindicato irá realizar uma panfletagem do Manifesto da Frente Nacional dos Trabalhadores dos Correios (FNTC) nos setores de trabalho.
Nesta terça-feira (15), a partir das 7h da manhã, representantes do SINTECT-PE irão distribuir o informativo em frente ao edifício sede dos Correios, no centro do Recife. O objetivo é assumir diretamente uma negociação coletiva com a categoria, além de alertar e informar sobre o descaso da FENTECT diante da luta dos ecetistas de todo o país.
Segundo Hálisson Tenório, secretário geral do SINTECT-PE, este será mais um capítulo da trajetória guerreira dos ecetistas de Pernambuco. “Fizemos história quando nos desfiliamos da Central única dos Trabalhadores (CUT) e agora somos levados a nos questionar debate se vale a pena continuarmos juntos com uma federação que está totalmente atrelada ao patrão”, acrescentou.
Abaixo segue o Calendário de mobilização do SINTECT-PE para desfiliação da FENTECT :

ATIVIDADE
DATA

Panfletagem do Manifesto da FNTC nos setores de trabalho;
09 a 18.05.2012;

Reuniões Setoriais (Maio);

21 a 31.05.2012;

Encontro das Mulheres Ecetistas de Pernambuco;
26.05.2012;

Reunião do Conselho de Representantes Sindicais do
SINTECT-PE (Delegados e Diretores Sindicais);
27.05.2012;

Distribuição do Informativo Grito de Alerta sobre a desfiliação ou não da FENTECT;
04 a 15.06.2012;

Participação no XI CONTECT da FENTECT, onde será externado para os Delegados e as Delegadas presentes, da posição da Diretoria do SINTECT-PE em se desfiliar da FENTECT e que para isso defenderá esta posição na assembleia que se realizará no dia 05 de julho/2012;
12 a 17.06.2012;

Reuniões Setoriais (Junho);
17 a 28.06.2012;

Assembleia de Desfiliação, ou não, da FENTECT.
05.07.2012.
http://www.sintectpe.org.br/index.php?tela=noticia1&id=77

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Qual sua opinião sobre a Assessoria Jurídica da FENTECT?

Qual sua opinião sobre o fato de o Sócio e Presidente do Conselho Jurídico Administrativo do Escritório da Assessoria Jurídica da FENTECT ser também membro da Comissão de Ética Pública da Presidência da República?


Uma ação contra o governo federal patrocinada por este escritório incorreria em conflito de interesses?

QUAIS SÃO SUAS OPINIÕES SOBRE ESTE ASSUNTO?

FENTECT perde mais uma no TST


SAIU HOJE O RESULTADO DO SEGUNDO EMBARGO DE DECLARAÇÃO QUE A FENTECT ENTROU DO ACORDÃO 2011/2012.

COMO NÃO É MAIS NOVIDADE A FENTECT PERDEU, O TST negou provimento aos embargos de declaração. VEJA EM ANEXO!


http://aplicacao5.tst.jus.br/consultaunificada2/inteiroTeor.do?action=printInteiroTeor&highlight=true&numeroFormatado=DC+-+6535-37.2011.5.00.0000&base=acordao&numProcInt=147437&anoProcInt=2011&dataPublicacao=18%2F05%2F2012+07%3A00%3A00&query
aplicacao5.tst.jus.br
TST-ED-ED-AgR-AgR-DC-6535-37.2011.5.00.0000FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE CORREIOS E TELÉGRAFOS E SIMILARES - FENTECTEMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS - ECT, FEDERAÇÃO NACIONAL DOS ADVOGADOS e SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE CORREIOS PRE...

quinta-feira, 17 de maio de 2012

PARTICIPE DO ABAIXO ASSINADO DA TESE DA FNTC AO XI CONTECT

PARTICIPE DO ABAIXO ASSINADO DA TESE DA FNTC AO XI CONTECT 

Avançar na Luta para Defender os Correios Público e 100% Estatal.
Em Unidade de Ação, Sem Rabo Preso com o Governo e com a Direção da Empresa. 

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=FNTC

Reintegração de Ana Paula Já!: Ana Paula dá entrevista a Rádio em Macaé nos 30 an...

Reintegração de Ana Paula Já!: Ana Paula dá entrevista a Rádio em Macaé nos 30 an...

Após o XI CONTECT, todos à Cúpula dos Povos na Rio+20!

Após o XI CONTECT, todos à Cúpula dos Povos na Rio+20!


https://www.facebook.com/cupuladospovos


http://cupuladospovos.org.br/

SINTECT/RS denuncia TRÁFICO DE INFLUÊNCIA DENTRO DA ECT/RS

Ofício 0504/2011 Porto Alegre, 07 de maio de 2012.

Ao Ministério Público Federal
Rua Sete de Setembro, 1133 - Centro 
Porto Alegre/RS 

TRÁFICO DE INFLUÊNCIA DENTRO DA ECT/RS


Vimos, por meio deste, denunciar o trafico de influência e o aparelhamento da máquina pública comandado pela atual gestão dos Correios, onde a corrente política Movimento PT, representante direta dos interesses políticos de uma Ministra importante do Governo Dilma, que mesmo de fora da ECT influencia diretamente a movimentação e distribuição de cargos de confiança nesta estatal, especialmente na 
Diretoria Regional do Rio Grande do Sul, onde esse grupo político tem hegemonia.



Além das divisões políticas na distribuição de cargos nas diretorias, são muitos os casos onde o Sistema Nacional de Transferência (SNT), os processos de recrutamento interno para mudanças de atividades, bem como as reabilitações ou desvios de funções, são utilizados através de mecanismos sem critérios, que ferem drasticamente o principio da impessoalidade e gestão transparente da máquina pública. Alguns trabalhadores recebem tratamento diferente de outros, envolvendo portarias e mudanças que impactam consideravelmente no processo produtivo dentro da empresa, sem a menor transparência nos critérios e sem nenhum embasamento legal.

Recentemente, soubemos que o enteado da ministra do PT foi aprovado no contrato de experiência de 90 dias para o cargo de agente de correios/carteiro e, após isso, em menos de um mês, já foi descolado de seu local de trabalho para ir desempenhar outra atividade – administrativa – em outro local de trabalho. Primeiro foi para a GERAE e agora ainda não se sabe onde está. Outro caso semelhante ocorreu com uma funcionaria carteira, que também foi promovida para desempenhar atividade administrativa. Muitos outros casos envolvendo SNT, RI, entre outros, passam pelos mesmos procedimentos políticos que configuram tráfico de influência.

Enquanto isso, a base da categoria amarga péssimas condições de trabalho, convive com o SAP que eles criaram, com convocações sem fim para trabalhar fim de semana, pressão para fazer hora-extra, assédio moral, dificuldade de conseguir uma consulta medica ou uma reabilitação para quem esta doente sem condições de trabalho, impossibilidade de obter sucesso em recrutamento interno (RI) devido à panelinha política que existe etc., etc., etc.

Trazemos esta denuncia para a categoria inteira ficar ciente do que esta ocorrendo, indignar-se conosco e juntos nos mobilizarmos para por um basta nesta verdadeira corrupção dentro da nossa empresa, onde os interesses políticos e pessoais determinam o privilégio de meia dúzia em detrimento da sobrecarga da maioria.


SINTECT/RS

SINTECT-PI denuncia nepotismo nos Correios.


Sindicato denuncia nepotismo nos Correios; empresa nega irregularidade

Quinta, 17 de maio de 2012 • 12:16

Por Cinnara Sales*

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Piauí (SINTECT) denunciam caso de nepotismo dentro do órgão. Segundo o vice-presidente da entidade, José Rodrigues, a nova diretora regional, Joana D’arc da Silva Neto, é casada com o gerente de vendas empresa.

De acordo com Sindicato é proibido pela legislação do órgão que um funcionário seja chefiado por parentes. Joana D’arc teria assumido o cargo após indicação da deputada federal Iracema Portela. 

A assessoria de comunicação do órgão argumenta que o manual interno dos Correios permite que a nova gerente possa pedir autorização da direção nacional e se for aceita, seu marido permanecerá no cargo, pois quando ela assumiu o cargo, em abril deste ano, Benedito Martins Alves Neto já era gerente de vendas dos Correios há quase sete anos. 

O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Piauí informou que denunciou o fato para o presidente da empresa, Wagner Pinheiro, e disse ainda que enviou cópia do documento para o Tribunal de Contas da União (TCU).

O SINTECT garante que caso ambos permaneçam no cargo, denunciarão o suposto caso de nepotismo para o Ministério Público do Trabalho (MPT).

FONTE: 

terça-feira, 15 de maio de 2012

TESE AO XI CONGRESSO DA FENTECT



      Camaradas Ecetistas,

No link abaixo, apresentamos aos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios a tese da FRENTE NACIONAL DOS TRABALHADORES DOS CORREIOS (FNTC), ao Décimo Primeiro Congresso Nacional dos Trabalhadores dos Correios (XI CONTECT), o qual se constitui num importante e decisivo momento para a organização nacional dos trabalhadores Ecetistas.

Nosso primeiro objetivo político neste Congresso é a armação da categoria para os duros embates contra os patrões da ECT e do governo, compreendendo este momento político marcado pelo agravamento da crise econômica internacional, em particular no continente europeu, quando os reflexos da crise ainda são limitados no Brasil. Mas, já ocorre um aumento da polarização social e das lutas de resistência no Brasil. O governo segue tendo o apoio da maioria da população, ancorado no crescimento econômico anterior, mas o ascenso sindical iniciado em 2011 prossegue.

O aumento da polarização social tem tido como resposta a repressão aos movimentos sociais, a criminalização das lutas, do povo pobre e das lideranças populares por parte de todos os governos. Portanto, este Congresso está chamado a responder a essa realidade, armando nacionalmente os sindicatos dos trabalhadores dos Correios com um programa de reivindicações específicas da categoria, mas também com um plano de ação comum para as lutas do conjunto da classe trabalhadora.

O nosso segundo objetivo político é seguir no chamado ao fortalecimento da alternativa de direção nacional que estamos construindo pela base da categoria, em oposição nacional a FENTECT: a FNTC - Frente Nacional dos Trabalhadores dos Correios.Buscamos a consolidação desta entidade e a incorporação de novos setores da vanguarda lutadora da categoria ecetista, nos separando da FENTECT e de sua política hegemonista ancorada por critérios e métodos estranhos à nossa classe.

FNTC, embora seja uma entidade minoritária, se fortaleceu nas últimas lutas e tem a possibilidade de trazer para os participantes deste Congresso um conjunto de propostas que se expressam no Plano de Lutas desta tese, para defender os Correios público, 100% estatal, derrotar o SAP e preparar uma campanha de lutas pela anistia dos descontos e da compensação dos dias da greve do ano passado.

Queremos reivindicar o acerto político que foi o processo de discussão que resultou na fundação da FNTC. Ao longo dos 03 últimos anos participaram deste processo os SINTECTs de Amazonas, Pernambuco, Paraíba, Piauí, São José do Rio Preto, Vale do Paraíba, a minoria da diretoria do SINTECT-RS e as oposições nos sindicatos de SP, RJ, BSB, SC, PR e CAS. Na 1ª Plenária Nacional realizada nos dias 04 e 05 de fevereiro de 2012 foi eleita sua primeira direção provisória.

A conformação da FNTC confirmou-se como acerto político importante, em alternativa ao governismo, aos golpes e traições impostas à categoria pela maioria da direção da FENTECT composta pela ARTICULAÇÃO SINDICAL-CUT/PT e também pela CTB/PCdoB, hoje rachada com um setor a favor de romper e outro contra.

Mas, esse tema é parte do debate que trazemos para este XI CONTECT.

Com essa disposição e com esses objetivos, apresentamos nossa tese como uma elaboração coletiva, que segue aberta para receber outras propostas e adesões também de outros dirigentes das oposições, direções sindicais e minorias ligadas ou não à FNTC, bem como dos demais trabalhadores e trabalhadoras de base que concordarem conosco.

LEIA A TESE NA ÍNTEGRA:

ASSINE VOCÊ TAMBÉM A TESE DA FNTC.